COVID-19: Fernanda Melchionna garante vacinação prioritária a trabalhadores da saúde e grupos de risco

A candidata a Prefeitura de Porto Alegre se reuniu na manhã desta terça-feira (7/10) com o Sindisaúde-RS

7 out 2020, 16:57
COVID-19: Fernanda Melchionna garante vacinação prioritária a trabalhadores da saúde e grupos de risco

A candidata a prefeita de Porto Alegre Fernanda Melchionna, juntamente com o vereador e candidato a reeleição Roberto Robaina, escutou, na manhã desta terça-feira (7/10), demandas dos servidores da saúde. Durante a reunião com o Sindisaúde-RS, os profissionais levantaram diversos problemas relacionados ao descaso da gestão atual com a categoria, como precarização dos serviços públicos, privatizações, demissão de servidores e abandono das estruturas públicas, como hospitais e postos de saúde. 

Como exemplo, foi citado o caso do Hospital Álvaro Alvim, administrado pelo Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), que teria condições de receber pacientes e, no entanto, está fechado em meio a pandemia. Também foram lembradas as privatizações de diversos Postos de Saúde e a demissão de cerca de 1.200 trabalhadores do Instituto Municipal de Estratégia da Saúde da Família (Imesf). 

Fernanda ressaltou que, como deputada federal, aprovou por unanimidade no Congresso Nacional o projeto de Lei elaborado conjuntamente com o movimento #MaisDoQuePalmas que prevê indenização a dependentes de profissionais da saúde e de auxiliares hospitalares que exercem serviços essenciais e que morrerem em função da pandemia, ou a profissionais que fiquem permanentemente incapacitados para o trabalho em decorrência do COVID-19. O projeto, no entanto, foi vetado pelo presidente Jair Bolsonaro.

Em âmbito municipal, a candidata se comprometeu, caso eleita, a revogar as privatizações promovidas pelo atual prefeito, Nelson Marchezan Júnior, e a criar estratégias de vacinação em massa em Porto Alegre, dando prioridade a profissionais da saúde e grupos de risco. 

“2021 vai ser um ano difícil para o país e para Porto Alegre. O principal desafio é garantir contatos com laboratórios e ter uma plano para vacinação em massa em Porto Alegre, começando pelos profissionais da saúde e grupos de risco. Inclusive, se tiver que endividar o município, se endivida, para as pessoas voltarem a ter uma vida normal e estarem longe do risco. E depois é pensar uma gestão para a saúde junto com vocês. Nós juntos vamos buscar soluções para os problemas”, garante Fernanda Melchionna.

Confira mais propostas para a área da saúde:

– Converter o IMESF em uma empresa pública municipal;

– Governo com a participação e inteligência dos trabalhadores da saúde;

– Testagem permanente  de COVID-19 e EPIs  para os trabalhadores da saúde;

– Qualificação e expansão dos equipamentos públicos: Postos, Farmácias, Ambulatórios de cuidados específicos, Laboratórios de Análise, Centros Odontológicos, estruturas Hospitalares Municipais, Centros de Atenção Psicossociais e o nosso Pronto Socorro;

– Melhorar o atendimento no Hospital Materno Infantil Presidente Vargas, ampliando o número de leitos, qualificando os equipamentos e ampliando o número de trabalhadores através de concurso público;

– Manutenção do HMIPV enquanto hospital público;

– Melhorar as condições de funcionamento do Hospital Pronto Socorro, qualificando as condições físicas do prédio, equipamentos e ampliando o quadro de pessoal;

– Lutar pela garantia do aumento dos repasses do Estado e da União, inclusive por meio de ações judiciais, se necessário;

– Publicar a cada mês a execução orçamentária da Saúde, para que a cidade tenha conhecimento sobre as receitas e despesas;

– Adicional salarial por difícil acesso para servidores de áreas afastadas;

– Melhorar as estruturas físicas, os equipamentos e a disponibilidade de recursos humanos concursados nas Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs), responsáveis pelos serviços de média complexidade, para reduzir a lotação dos hospitais. Dar especialidade as UPAs, por exemplo, UPA Pediátrica.

Foto: Guilherme Santos / PSOL